Soja registra, em Chicago, leves altas nesta 5ª feira de olho nas vendas semanais americanas

No pregão desta quinta-feira (5), o mercado da soja trabalha com ligeiras altas na Bolsa de Chicago, recuperando parte das últimas baixas. As cotações subiam 4 pontos nos principais vencimentos, por volta de 8h (horário de Brasília), trazendo o novembro/17 de volta à casa dos US$ 9,60 por bushel. Já o maio/18 era cotado a US$ 9,91.

Os intervalos técnicos ainda mantêm os preços bastante limitados na CBOT, com os traders já reconhecendo e absorvendo seus fundamentos, esperando por novidades que possam direcionar melhor o mercado a partir de agora. Os focos permanecem, principalmente, sobre a demanda e o clima na América do Sul.

“A AgResource alerta que os operadores chineses do mercado voltam com mais intensidade já nos próximos dias, com o encerramento dos feriados sazonais na Ásia. Nossos contatos na China afirmam que uma nova rodada agressiva de compras de soja deverá ser observada em meados de outubro”, informa o boletim diário da consultoria internacional.

Ainda do lado da demanda, nesta quinta a atenção se volta também para o boletim semanal de vendas para exportação que o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) traz hoje. As expectativas do mercado mostram os números da soja entre 1 e 1,3 milhão de toneladas vendidas na última semana.

Sobre o clima no Brasil, o alerta fica para as próximas duas semanas, ainda de acordo com a AgResource.

“Nas previsões atualizadas, um período de estiagem e temperaturas elevadas é observado sobre o Mato Grosso e Goiás para as próximas duas semanas. Uma massa de ar quente de alta pressão se aloca sobre o centro-leste do Brasil, dificultando a chegada de novas chuvas no período em questão. Apesar disto, melhores chances de chuvas são observadas a partir do dia 15 de outubro, para ambos os estados”, informa a ARC Brasil.