Soja: mercado com ganhos leves, a espera do relatório do USDA, por Miguel Biegai da OTCex Group

A Bolsa de Chicago vai trabalhando em ligeira alta nesta quinta-feira. O contrato novembro/17 opera com 4,75 de alta e agora está valendo U$ 978 centavos por bushel às 06:30 da manhã. Movimentação lenta com menos de 10 mil contratos negociados até o momento.

O mercado futuro de soja opera exatamente como se espera de um período pré-relatório de agosto. Salvo excessões, os preços futuros tendem a ficar estáveis no dia que antecede o relatório, e também horas antes da divulgação do mesmo. Ontem o contrato de novembro fechou no 0 x 0. Ou seja, sem variação em relação à terça-feira. No fundo, o mercado não sabe muito para que direção tomar, porque as opiniões divergem bastante nesse momento sobre o relatório do USDA, que será divulgado logo mais. E por isso está respeitanto suportes e resistências bastante estreitos. Respeitou suporte Fibonacci na casa dos US$ 960 e agora está respeitando resistência Fibonacci também na linha dos US$ 978 cents/bushel. Esse matemático italiano do século XII é um cara sabido, mesmo! Próxima resistência é nos US$ 994, perdida depois das chuvas da semana passada.

No mais, uma corrente de analistas acredita que o relatório de hoje (13 horas de Brasília) vai ser moderadamente altista na soja. Citam um possível aumento de exportações de safra 16/17, com consequente aumento de estoques finais como um dos fatores. Um novo aumento de exportações é plausível, tendo em vista que já estão comprometidos quase 61 milhões de toneladas e a China anunciou que importou quase 17% a mais de soja no período de janeiro a julho de 2017 do que em relação ao mesmo período do ano passado. E não é só a China, os países “ao redor” da China (Malásia, Coreia do Sul, Tailandia, Vietnan, etc) também estão com consumo acelerado. Há também a possibilidade de que o USDA pode diminuir um pouco a produtividade de soja safra 17/18, de 48 para 47,4/bushels por acre, segundo uma média de projeções de analistas consultados pela Dow Jones. Isso, caso efetivado, derrubaria a safra americana dos 115,95 para 114,37 milhões de toneladas. Aguardemos. Por via das dúvidas, estou recomendando alguns clientes a comprarem algumas calls (opções de compra) do vencimento setembro/17 que estão bem magrinhas e baratas. Podem engordar rapidamente em caso de um relatório bem altista. Mas sem venda de puts (opções de venda), porque se vier um relatório muito baixista, elas podem dar um calor no trader.

Dia 29/08 vou para o Brasil para férias e alguns cursos/palestras: Agenda até o momento: Dia 01/09, palestra na abertura da colheita da soja em Boa Vista/Roraima. Dia 04/09, curso de Proteção de Preço em Posse (GO). Curso no RS ainda com local e data a confirmar na segunda quinzena de setembro. Curso em SP, ainda com local e data a confirmar para final de setembro.