Produtores de PE investem em tipos de uva com maior valor de mercado

Os produtores de uva de Petrolina, em Pernambuco, estão investindo em variedades com maior valor de mercado. As frutas premium podem alcançar até o dobro do preço.

Há 20 anos, o agricultor Newton Matsumoto cultiva uvas na região do Vale do São Francisco. Ele sempre produziu pensando na quantidade, mas há três anos todo o investimento na fazenda é feito para melhorar a qualidade das frutas. Hoje, 80% dos 38 hectares plantados na propriedade têm qualidade considerada premium.

“O mercado paga melhor por isso. Principalmente quando tem muita oferta no mercado e está difícil de vender, o premium se vende sozinho. O consumidor mais exigente paga mais pela qualidade”, diz Matsumoto.

O produtor colhe 800 toneladas de uva premium por ano em duas safras. A principal aposta é na variedade gourmet sable, de cor mais escura e com aroma diferenciado. Ele também conseguiu aumentar o padrão de variedades tradicionais sem sementes, como thompson, crimson e midnight beauty.

“Uma uva premium seria uma uva de melhores práticas agrícolas, um produto de mais qualidade. Seria uma uva de acidez baixa, ponto de maturação bem próximo ao elevado, que traz um brix melhor. Brix é a doçura que a gente sente ao comer”, explica o agrônomo Patrick Barbosa.

A Cooperativa Agrícola Nova Aliança (COANA), é a responsável pelas negociações das uvas premium. São produzidas cinco mil toneladas por safra. O preço é um atrativo para os agricultores.

“Nós temos clientes São Paulo e no Rio de Janeiro que têm lojas como boutiques de frutas, que realmente tem um cliente que paga por esse padrão de fruta. Paga em torno de R$ 8 o quilo na fruta de padrão premium. Em comparação com as outras frutas, pagam R$ 5,00 ou R$ 4,00. Com certeza, vale a pena”, avalia Alessandra Dantas, técnica de qualidade da COANA.

A garantia nas vendas tem chamado a atenção dos produtores da região. Em outra fazenda de Petrolina, dois hectares foram plantados com uma variedade gourmet. A variedade é chamada de cotton candy, que em português significa algodão doce. Nas safras anteriores, o agricultor Jerry Ito vendeu a produção para a Inglaterra e para o estado de São Paulo. O preço do quilo saiu por uma média de R$ 6,00. Nas outras uvas, a média é de R$ 4,00 o quilo.

No Vale do São Francisco são produzidas por ano 300 mil toneladas de uva. Desse total, 20% vai para a exportação.