Feijão-carioca: Por que produtores não podem especular?

Os negócios realizados ontem apontam para uma indiscutível queda na média de preços em todo o Brasil. Observando a tabela abaixo, fica claro que os produtores entenderam que agora é hora de aceitar as oferta mais baixas.

Houve um recuo nos preços FOB em decorrência do período do mês não estar correspondendo às expectativas de volume de vendas. Quando isso ocorre, sobressai a tendência de acusar os produtores de serem gananciosos e especuladores, uma vez que, quando os preços reagiram, muitos preferiram aguardar que os preços chegassem mais próximos dos R$ 150.

Mas qual a razão para entender que o produtor não pode especular?

Todos os outros elos da cadeia têm a liberdade de manter maior ou menor nível de estoque ao analisar distintos momentos do mercado. Ganhar com especulação é parte do jogo. Se os produtores entendem agora que, diante de seus compromissos financeiros, precisam vender abaixo de seus objetivos iniciais, isso é parte deste mesmo jogo.

Ocorre que o inadmissível é que corretores, analistas, cerealistas e até mesmo outros produtores se comportem como analistas e conselheiros, instigando a não vender, esperando maiores altas ou mesmo buscando influenciar outros a “jogarem a toalha” e se desfazerem logo de seu produto. Este comportamento é imoral e desonesto. As decisões de todos precisam ser balizadas em dados e fatos, ainda que exista em nosso setor dificuldades em obter estes dados. Expor e discutir dados e perspectivas em conjunto é bem diferente de pressionar uns aos outros, utilizando o terrorismo como ferramenta de pressão.