Boi: Com necessidades de compra, frigorífico sustenta valores

As negociações de boi gordo seguem em ritmo lento no mercado brasileiro. Os valores ainda são bastante distintos, o que, segundo pesquisadores do Cepea reflete a urgência de negociação, seja por parte de vendedores ou de compradores. De modo geral, a oferta é maior que a demanda, principalmente devido ao menor volume de abate e das escalas alongadas. Apesar dessa pressão, o Indicador ESALQ/BM&FBovespa do boi gordo subiu de forma pontual em alguns dias. Nessa quarta-feira, 12, o Indicador fechou a R$ 124,70, leve alta de 0,24% em sete dias. Como frigoríficos que tinham escalas alongadas se afastaram do mercado em certos dias, as poucas unidades de abate que precisaram negociar com maior urgência, acabaram ofertando preços maiores (devido à retração vendedora), elevando a média das negociações.